vinho-espanhol

 

Toda região que cultiva uvas para a produção de vinhos imprime suas características. Este aspecto denomina-se Terroir.

Na Espanha não é diferente e a história da produção de vinhos remonta do século III A.C, onde historiadores especializados apontam que os romanos foram os responsáveis pelas primeiras plantações de vinhedos e a comercialização de seus vinhos. Foi graças ao caráter mercantil dos fenícios (que controlavam a Espanha na época) que se deu a expansão do comércio dos vinhos.

O desenvolvimento, a produção e o cultivo, estavam relacionados com a presença dos árabes na península Ibérica e também ao fato de que a Espanha e Portugal praticamente dividiram o mundo em dois com suas descobertas ao redor do mundo. Graças a estas conquistas, o vinho espanhol foi espalhado por vários lugares – chegando, inclusive, as Américas.

Mas não foram só estes fatores que tornaram o vinho espanhol difundido e conhecido. Em meados do século XIX, a epidemia chamada filoxera devastou os vinhedos da Europa, fazendo com que muitos vinicultores franceses migrassem para a Espanha, levando consigo (além de variedades de castas) muita tecnologia e conhecimento. Desta forma, os produtores espanhóis se desenvolveram e consolidaram o mercado, com destaque a região de Rioja.

Toda esta situação, resultou numa produção modernizada em técnicas, enriquecimento e uma diversidade maior em seus produtos, aproveitando ao máximo o conhecimento dos experientes produtores franceses. Na segunda metade do século XIX, o Marquês de Murrieta cria a primeira destilaria e inicia a exportação dos vinhos espanhóis.

Mas a Espanha também contou com algum revés em sua caminhada. Entre eles, a Guerra Civil Espanhola e também a Segunda Guerra Mundial, além de mais tarde a praga filoxera.

Já na segunda metade do século XX, o vinho espanhol conheceu um novo progresso. Desde a década de 1990 a indústria vinícola espanhola, tem passado por profundas transformações, maiores inclusive que as outras ocorridas anteriormente. O processo de modernização não se limitou apenas ao campo, mas incluiu também a regulamentação do setor, o que fez com que o país se tornasse o berço de alguns dos vinhos mais prestigiados do mundo.

Hoje a Espanha detém a maior área de vinhedos do mundo e é o terceiro maior produtor, ocupando maior parte da Península Ibérica. Conheça abaixo, algumas de suas regiões de cultivo, principais castas e vinhos:

– Da Galícia, região de alta umidade, com ventos frios, chuvas frequentes e com influência do Atlântico, saem os vinhos brancos da uva Albariño (casta da terra), um vinho com nível de acidez alto, pouco encorpado e com aromas de frutas cítricas e boa mineralidade.

Região de Rioja, Ribera del Duero e Penedez de clima fresco, é de onde saem os vinhos da principal uva espanhola (Tempranillo) com menos acidez, e também os Garnacha que roses ou tintos encorpados. Porém, hoje é possível afirmar que a Espanha é marcada por diversos estilos de vinhos, de diferentes regiões, que foram revigorados com a revolução de novos investimentos, novas ideias e novos enólogos.

Existe um sistema que regula os vinhos com denominação de origem, definido em duas principais categorias: IGP – Indicación de Origen Protegida e DOP – Denominación de Origen Protegida.

Todavia, como em todo território produtor de bons vinhos, existem os rótulos mais clássicos, que na Espanha são:

– Rioja, o tinto – maturado em carvalho americano, sabor acentuado de mistura de frutas vermelhas, carvalho tostado e baunilha. Alguns produtores utilizam barris de carvalho francês, que dá ao vinho um perfume mais acentuado de especiarias.

– Cava, o espumante – que utiliza o mesmo processo de fermentação que o Champanhe, induzindo uma segunda fermentação, após engarrafado. – Uvas: Macabeo, Xarel-lo e Parellada

– Jerez, o fortificado – elaborado com três diferentes variedades de uvas, conferindo-lhe maior equilíbrio e complexidade – Uvas: Palomino, Pedro Ximénez e Moscatel. Um exemplo de importadora de vinhos que oferece vinhos espanhóis de qualidade é a Via Vini Vinhos.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *