Vinho Nacional Brasileiro

Descobri o prazer de mergulhar no mundo fascinante dos vinhos já há quase três décadas, e foi paixão à primeira taça. Desde então, dedico-me ao conhecimento e aprendizado dessa maravilhosa e fascinante bebida, desvendando a cada dia diferentes sensações e experiências únicas, que só mesmo o vinho é capaz de proporcionar. Consegui aliar o prazer ao trabalho, prestando assessoria, consultoria e hoje desenvolvo cursos na área de vinhos, espumantes e harmonização enogastronômica, fazendo um trabalho inovador, diferenciado e profissional, com destaque ao serviço especializado de vinhos executado pelo sommelier. Saúde!


>> Confira os Vinhos e Gadgets recomendados pelo Club del Vino! <<

vinho para iniciantes e iniciados


O vinho é um assunto tão cativante, que nos permite divagar por horas e horas e das formas mais diferentes, criativas e inusitadas, indo até onde a imaginação permitir.

Ter o vinho como fiel companheiro sem dúvida é garantia de grandes momentos de alegria, descontração, prazer … degustados sós em momentos de pura reflexão em nossas taças ou acompanhados de petiscos e refeições completas, com nossos amigos ou familiares, não importa.

Sempre será uma experiência diferente e enriquecedora.

 

E essa convivência com os vinhos me faz refletir algumas coisas …

Estamos em um momento em que instituições ligadas a produção e disseminação do vinho brasileiro buscam uma releitura na comunicação com seus consumidores, procurando detectar um novo público para a bebida, além dos já existentes.

Parece-me oportuno “provocar” em cada um de nós, que tanto admiramos e vivenciamos de alguma forma tudo o que o vinho é capaz de proporcionar, uma grande ação voltada ao incentivo do consumo do vinho nacional.

Claro que muitos de nós já apreciam o néctar dos deuses com a chancela Feito no Brasil, como também atuam fortemente em prol dos brasucas, mas as vezes algumas oportunidades de passar adiante essa nossa, digamos Missão, de ver nossos vinhos ganharem o público consumidor, acabam não acontecendo.

Seja em um bate-papo informal, uma reunião de trabalho, fazendo compras no supermercado ou encontrando os amigos no final do expediente… cada oportunidade é única e pode ajudar a disseminarmos esse processo de nacionalização de consumo do produto.

Conhecer e degustar um rótulo nacional deveria constar do currículo de qualquer enófilo que busque ampliar seus horizontes na área e descobrir sensações novas e diferentes.

Mas a realidade é que por vezes acabamos ficando tão “presos” aos rótulos que vêm de fora, que quando nos é proposto sair dessa zona de conforto vinífera e degustarmos um rótulo nacional, nos assustamos e num ímpeto repulsivo do desconhecido (ou até mesmo pelo custo da bebida), optamos por outros rótulos.

E aí desperdiçamos excelentes oportunidades de vivenciarmos algo novo, da nossa terra, da nossa gente.

O vinho nacional apresenta cada vez mais um aumento qualitativo em seus rótulos, trazendo a cada nova safra surpresas muito gratificantes, seja com os vinhos tintos, brancos ou espumantes. Produzidos no Sul do país, na região Sudeste ou em Pernambuco.

O fato é que o trabalho de nossos produtores para sobreviver e apresentar rótulos de qualidade, em um país onde a legislação tributária é velha e desatualizada, tornou-se uma dura rotina na condução dos pesados remos que rasgam águas profundas contra a pesada maré de impostos brasileiros. Mas não se engane!

 

Qualidade nós temos e isso ninguém pode ousar duvidar!

Órgãos governamentais e institutos de pesquisa estão trabalhando na busca do aperfeiçoamento tecnológico e no desenvolvimento e aprimoramento dos meios de produção, priorizando o respeito à vinha e o manejo consciente realizado por nossos agricultores e enólogos.

Esses abnegados profissionais do vinho que buscam incansavelmente alternativas sustentáveis e custos reduzidos, têm como foco em oferecer aos consumidores o que eles estão ansiosamente esperando.

Porém, se não convencermos esse público consumidor a dar uma chance ao que é nosso, fica muito mais difícil avançarmos. É sabido de todos que a gama de produtores de qualidade em nível mundial é muito grande e com forte tradição.

Portanto, quando falamos em dar uma chance aos nacionais, não significa dizer que uma ação exclui a outra.

A França, berço vitivinícola mundial, será sempre a França, Portugal continuará a agradar milhares com suas castas tão peculiares, assim como os rótulos da Itália, EUA, Chile, Argentina, enfim, o vinho é uma cultura que quer queira, quer não, envolve sempre experiências novas, mesmo que de produtores tradicionais, dos países do Novo ou Velho Mundos.

 

Então será que poderíamos fazer algo mais pelos brasucas?

Com certeza podemos acreditar na coisa nossa, nos deixar seduzir, abrir espaço para o inesperado, aceitar e entender que a qualidade de nossos rótulos já é uma realidade.

E sem querer elucubrar em demasia, justamente esses mesmos países que há décadas, diria centenas de anos, primam pela excelência de seus rótulos, também já sinalizam a real necessidade de num prazo não tão distante quanto se imagina, buscar novas formas de comunicação para se adaptarem aos novos públicos consumidores, mais ecléticos e exigentes, prontos e ávidos por novas experiências e diferentes sensações.

Se conseguirmos evoluir para esse novo patamar de consumo e atender esse público emergente, dinâmico, imediatista sim, mas que preza também e principalmente pela qualidade, vamos poder dar uma chance real de colhermos bons frutos e fazer crescer exponencialmente nosso mercado.

Com isso vamos consumir cada vez mais e mais o vinho nacional e entender que fazemos parte do time dos grandes!

Que podemos equilibrar esse jogo!

Temos potencial, material humano e tecnológico, desenvolvemos nossa agricultura tanto em regiões promissoras quanto em áreas já consolidadas, e nossa produção de vinhos está se tornando cada vez mais consistente.

O Brasil é surpreendente e os brasileiros não mandam recado, fazem acontecer. Com trabalho, amor e paixão em tudo o que produzem.

Por aqui vou encerrando este post com uma taça da casa. E você, topa vir junto nessa importante e prazerosa empreitada?

Vinho: vida longa, feliz e saudável!

 

&nbsp


>> Confira os Vinhos e Gadgets recomendados pelo Club del Vino! <<

vinho para iniciantes e iniciados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *